Coletânea 96
Destaques da Semana
Entenda como fazer a Declaração do Imposto de Renda 2019

O processo de Declaração do Imposto de Renda se repete todos os anos. Mesmo assim, na hora de juntar os documentos, as dúvidas voltam à tona. Os contribuintes têm até 30 de abril para acertar as contas com a Receita.

Antônio Claret Camarano, contador em São João del-Rei, ressalta quem é obrigado a declarar em 2019:    “O imposto é para pessoas que receberam mais de R$28.559,70 de renda tributária no ano passado. Ou para quem ganhou mais de R$40 mil em títulos de rendimento não tributário ou isentos, teve ganho com a venda de bens, por exemplo uma casa, ou comprou ou vendeu ações na bolsa. É também para quem recebeu mais de R$142.798,50 em atividade rural e para donos de bens de mais de R$300 mil reais. Pessoas que começaram a morar no Brasil em qualquer mês de 2018 e ficaram aqui até 31 de dezembro também devem declarar. Ou então para quem vendeu um imóvel e comprou outro no prazo de 180 dias, usando a isenção do imposto de renda”.  

A cobrança do imposto pode ser abatida com a comprovação de gastos em áreas como saúde e educação. Camarano também destaca o que pode ser utilizado nas deduções: “As despesas médicas são as tradicionais. Tudo que você gastou com médico, sem limite. As outras despesas que você pode deduzir, como em educação, têm um limite por pessoa de R$3.561,50. A dedução do dependente hoje é de R$2.275,08 por dependente. Não há limite para inclusão de dependência, desde que devidamente comprovados. A condição para plano de previdência privada do tipo PGBL pode ser batido até o limite de 12% de renda”.

Em meio aos procedimentos surge a pergunta: declaração completa ou simplificada? De acordo com o contador, o próprio sistema indica qual a melhor opção: “A declaração completa é aquela que você declara tudo que você ganhou e gastou - médico, dentista, dependentes e a educação. A declaração simplificada vai declarar os rendimentos da mesma forma que a outra, porém terá um limite de dedução de 20% do valor bruto, dependente de comprovação”. 

Uma das novidades deste ano é a exigência do CPF de todos os dependentes incluídos na declaração, não importa a idade. Para enviar os documentos, acesse o www.receita.economia.gov.br. Lembrando que é indispensável inserir todos os dados corretamente para não cair na malha fina. Em caso de dúvida sobre o que declarar, recorra a um profissional da contabilidade para não haver o risco de ser fiscalizado.

Foto: Ilustrativa/ Pixabay

 

NO AR | 96,9 FM
NO AR | 92,7 FM